Modelo da Triumph é para curtir e se arrepiar.


Modelo da fabricante inglesa acertou em todos os detalhes, do motor ao design, dizem os consumidores.

Speed triple testada pelo #MMBTestou

Speed triple testada pelo #MMBTestou

O #MMBtestou retirou o modelo na concessionária Speed Triple, da avenida Juscelino Kubistchek, no Itaim Bibi, zona sul de São Paulo. Após falar com Roberto, o jornalista Bene Rodrigues, editor do MMB, subiu no modelo e já teve sua primeira impressão para o teste de consumidor. Como ainda não havia pilotado uma Super Naked, a dúvida que teve foi de que não conseguiria conduzir a moto pela rampa – com curva acentuada  – que sai da oficina para a avenida. “Minha primeira preocupação, após o modelo ser colocado em minha frente, foi em como conseguir sair dali pilotando. A curva da rampa de subida é um pouco estreita para quem jamais tinha pilotado o modelo.”

Mas essa primeira barreira foi transposta com tranquilidade. Após sentir o forte ronco do motor e engatar a primeira marcha, percebeu que, apesar do porte,  da  agressividade do motor, a Speed Triple responde facilmente aos comandos do piloto. Outro detalhe que chamou a atenção foi a fácil maneabilidade. “Pegar a rampa e chegar ao nível da avenida, no estacionamento da concessionária, foi tão fácil que na hora imaginei quais outras impressões estavam reservadas para a relação piloto-motocicleta a partir do momento em que pegasse as ruas, avenidas e estradas”, lembra o jornalista-motociclista, Bene Rodrigues.

E é justamente pelo porte do modelo que se tem os primeiros resultados positivos da avaliação (Veja a OPINIÃO de quem testou). Apesar do tamanho, a Speed Triple consegue circular com facilidade pelo tráfego urbano. O jeitão poderoso atrai olhares de qualquer motorista, que abre caminho para sua passagem. Arriscar-se no corredor parece loucura, mas a moto permite fazer passagens tranquilas entre um e outro veículo, mesmo em espaços onde a distância entre as faixas de rolamento são pequenas, caso da Avenida Nove de Julho, no centro da cidade. Por ali, a Speed Triple respondeu como fazem as streets: fácil de manobrar, mas com a vantagem de aceleração e arrancada, o que dá segurança quando se precisa do torque para uma ultrapassagem.

Porte do modelo chama a atenção

Porte do modelo chama a atenção

Enquanto passeia entre os carros é comum ver os olhares dos demais pilotos atraídos para a motocicleta. Na saída de um semáforo, por exemplo, ninguém se arrisca a querer sair na frente, pois é como querer chamar para a briga, coisa que a Speed Triple não precisa responder, pois, com aceleração de 0 a 100Km em 2,45 segundos, é algo impressionante para quem está na outra moto e para quem está sobre ela.

Se na cidade a moto responde com docilidade, na estrada ela se transforma. O motor de três cilindros confere à Speed Triple muita força em qualquer situação. Estamos falando de um modelo com motor de 1.050 cilindradas e 135 cavalos de potência, características marcantes no modelo desde o lançamento da primeira versão, em 1994. De lá para cá, a Speed Triple chegou aos lares de mais de 70 mil felizardos que têm o poder de pilotar uma máquina com características de fera indomável, mas que precisa apenas do bom senso e experiência do piloto para responder adequadamente. (Veja TABELA DE PREÇOS da Triumph).

O motor responde facilmente à aceleração e o freio (Brembo) segura bem quando necessário, ainda que a impressão seja a de que você não conseguirá parar o rojão. O modelo conta com sistema de freios ABS de série. Na SP 98, estrada que liga a cidade de Mogi das Cruzes à Bertioga e repleta de curvas, a Speed Triple mostrou toda sua leveza, agilidade e versatilidade. Nas curvas, respondeu com facilidade, deitou e voltou à posição normal de pilotagem com rapidez, sem prejudicar a velocidade.

Porte do modelo e ajustes da fábrica ganhou opinião de pilotos

Porte do modelo e ajustes da fábrica ganhou opinião de pilotos

O assento de 820 mm de altura oferece ao piloto uma posição que inspira confiança, colocando-o mais à frente e causando muito mais segurança ao contornar sequências de curvas. “Foi o que chamou a atenção de um grupo de motociclistas na nossa primeira parada”, lembra Bene Rodrigues. Na área de descanso conhecida como “véu de noiva” alguns pilotos afirmaram que a Triumph definitivamente “acertou” no modelo Speed Triple: “a moto está certinha no tamanho, no design, no motor, em tudo. Está completa”, disseram alguns integrantes empenhados em treinar curvas em alta velocidade na rodovia, exatamente neste trecho.

Ainda na estrada, é praticamente imperceptível o peso da moto. Remodelada em 2011, a Speed Triple ficou cerca de 3 kg mais leve que a versão anterior, ganhou um quadro mais estreito, a altura em relação ao solo aumentou e recebeu novos garfos de 43 mm com pré-carga de amortecimento rebote e de compressão totalmente ajustáveis.  Um acessório interessante e bonito é o escapamento, um sistema de exaustão diferenciado do tipo “três-em-um” (desenvolvido em parceria com a Arrow Special Parts) e um kit de sensores da pressão dos pneus.

O modelo utilizado na avaliação usava a linha de pneus Metzeler Racetec K3 Interact. Robusto na traseira, o pneu garante estabilidade e tem ótima aderência nas curvas tanto nas manobras na cidade ou nas estradas. Mesmo em inclinação máxima, os pneus ajudam nas manobras mais rápidas e agarram mais o asfalto em toda a trajetória.

A Triumph Speed Triple oferece um guidão bem largo, feito de liga, com uma série de recursos sofisticados no painel de instrumentos, como imobilizador codificado por chave, velocímetro digital, medidor de combustível, computador de bordo, tacômetro analógico, cronômetro digital, cronômetro de volta, luzes de mudança de marchas programáveis e tela de exibição do intervalo de manutenção.


0 Comentários

Deixe o seu comentário!