DETRAN ORIENTA MOTOCICLISTAS


Detran/SP traz dicas de educação para o trânsito

Estado tem 5,5 milhões de motos registradas com motociclistas representando mais de 30% das vítimas fatais em acidentes

 

Número de mortes em acidentes com motos aumentou segundo o Detran.SP

Um levantamento do Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP) aponta que só no Estado de São Paulo existem 8,5 milhões de condutores habilitados para pilotar moto. Esse volume é maior que a população de países inteiros como Israel, Suíça ou Dinamarca. O número de motos registradas no Estado, atualmente 5,5 milhões, corresponde a 20% da frota total de veículos, que é de 28,7 mi.

Os motociclistas estão entre os agentes mais vulneráveis no trânsito. A motocicleta deixa o corpo mais exposto e, em um acidente, mais suscetível a sofrer com o impacto. Por isso, mais do que comemorar, a data vale para reforçar a importância de se dirigir de forma prudente, respeitando as leis de trânsito e, principalmente, a vida.

“Os motociclistas representam mais de 30% das vítimas fatais em acidentes de trânsito no Estado de São Paulo. O dado é alarmante e mostra que quem está na direção desse tipo de veículo deve redobrar seu cuidado e atenção às regras de trânsito. Mostra também que é necessário maior cuidado dos motoristas dos veículos maiores. Com ações simples, como o uso da seta, por exemplo, muitos acidentes envolvendo motociclistas podem ser evitados”, pontua o diretor-presidente do Detran.SP, Maxwell Vieira.

De acordo com levantamento feito pelo Movimento Paulista de Segurança no Trânsito – programa do Governo do Estado de São Paulo, em parceria com órgãos públicos e o setor privado, que atua para reduzir pela metade o número de fatalidades no trânsito até 2020 -, entre 2014 e 2017, houve um aumento de 30% de vítimas fatais provenientes de acidentes com motos. Mais de 85% das vítimas são homens, e mais de 65% com idade entre 18 e 39 anos. A maioria dos óbitos (60%) ocorreu em vias municipais (no perímetro urbano).

Abaixo, o Detran.SP lista algumas atitudes que podem melhorar o trânsito, evitar acidentes, multas e aborrecimentos:

1) Use capacete, calçados e vestuário adequados – Em caso de acidente, eles podem ser a diferença entre um susto ou um ferimento grave. Antes de iniciar o trajeto, é importante checar se o capacete está devidamente fixado à cabeça, preso ao queixo por meio da cinta e com a viseira abaixada. Sempre que receber forte impacto ou estiver com a altura da espessura da espuma do forro interno diminuída, o que compromete a proteção, o capacete deve ser trocado.

2) Respeite o limite de velocidade da via – Adotar uma velocidade adequada ao trânsito do local evita aborrecimentos e tragédias. Em hipótese alguma ultrapasse o limite indicado na via. Em locais com maior concentração de pedestres e ciclistas, reduza a velocidade.

3) Nada de beber e dirigir – O álcool prejudica os reflexos e a coordenação. Nunca pegue a motocicleta após ingerir bebida alcoólica, por menor que tenha sido a quantidade, porque aumenta muito a chance de envolvimento em acidentes.

4) Preste atenção no trânsito e não no celular – O celular é inimigo não só dos motociclistas, mas dos motoristas e pedestres. O aparelho desvia a atenção e tira a capacidade de reagir rapidamente no trânsito, se necessário. Não deve ser utilizado nem em movimento ou em breves paradas, como em semáforos e pedágios.

5) Use a seta, sem medo – No trânsito, é muito importante ver e se manter sempre visível. Por isso, o motociclista também deve sinalizar seu deslocamento com antecedência para os demais motoristas e pedestres. A seta deve ser acionada antes de mudar de faixa ou de direção, fazer ultrapassagens, conversões e retornos.

6) Ultrapassagem do jeito certo – Colisões laterais e frontais são comuns e podem causar acidentes com fatalidades e vítimas graves. A regra vale para todos: a ultrapassagem de outro veículo em movimento deve ser feita em locais permitidos pela sinalização e sempre pela esquerda, exceto quando o veículo a ser ultrapassado estiver na faixa apropriada e sinalizando o propósito de entrar à esquerda.

7) Se a vaga para estacionar é preferencial, respeite – Cidadania sempre. Respeite as vagas voltadas a pessoas com deficiência ou idosos, por exemplo.

8) Faixa de pedestres é para o pedestre – Nunca pare na faixa de pedestre e, ao se aproximar de uma, reduza sempre a velocidade, principalmente nos locais de travessias sem semáforo ou de grande concentração de pedestres, como escolas, hospitais e terminas de ônibus, trens e metrô.

9) Moto não é bicicleta – O motociclista deve estar sentado sobre o veículo para pilotá-lo. Não é permitido descer e empurrar a moto para se deslocar a um destino.

10) Buzina tem hora certa para usar – Não deve ser utilizada de forma prolongada e a qualquer pretexto. Use-a em situações necessárias para advertir pedestres e condutores de outros veículos, como em caso de acidentes, dando um simples toque.

 


0 Comentários

Deixe o seu comentário!